Física2100
Olá visitante!

Por favor, faça login ou crie uma conta se ainda não estiver registado.
Física2100
Gostaria de reagir a esta mensagem? Crie uma conta em poucos cliques ou inicie sessão para continuar.

A Verdadeira Natureza da Gravidade

Página 25 de 25 Anterior  1 ... 14 ... 23, 24, 25

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

A Verdadeira Natureza da Gravidade - Página 25 Empty Re: A Verdadeira Natureza da Gravidade

Mensagem por Jonas Paulo Negreiros em 28th Junho 2020, 19:27

Por que o conceito push gravity (gravidade por impulsão) é considerado inviável pela ciência convencional?

Esse texto foi traduzido automaticamente de  um tópico do prestigioso "Physics Forum",  talvez o mais ativo fórum de física do mundo.

Olá pessoal, gostaria de saber as principais razões pelas quais o conceito de gravidade por pressão não é considerado um conceito viável pela ciência convencional. Eu sei que isso deu origem a numerosos trabalhos publicados, dentre os quais temos os de Lorentz, H.Poincare, F.Brush, Secchi, Leray, V. Thomson, Schramm, Tait, Isenkrahe, Preston, Jarolimek, Waachy, Rynsanek, Darwin, Majorana ... então não pode estar tudo errado

Observe que NÃO estou perguntando sobre a teoria das partículas ultramundanas de Le Sage (que também se enquadra na categoria de gravidade por pressão), que posso facilmente me desacreditar. Estou mais interessado no conceito de pressão de radiação eletromagnética da radiação de alta frequência, atuando como mecanismo gravitacional, e sua sombra criando a lei do quadrado inverso , áreas de baixa pressão. Obrigado, S.Borg.

.
.
.

O eletromagnetismo se propaga como bósons vetoriais spin-1. Se a gravitação é quantizada, ela se propaga como bósons tensores de spin-2.

As regras de seleção para transições permitidas são diferentes.

EM e gravitação não se unificam - nem mesmo se você estiver vestindo jeans Kaluza-Klein.

O EM é trivialmente blindado com camadas alternadas de condutor aterrado (gaiola de Faraday) e indutor com perdas (por exemplo, ferrita) e, eventualmente, por espalhamento de elétrons (blindagem nuclear para raios beta).

A gravitação não pode ser protegida. A fonte de radiação monopolar é um momento monopolar variável para uma carga q ou para uma massa m. Como carga e massa são conservadas, não pode haver radiação eletromagnética monopolar nem radiação gravitacional monopolar .

A fonte de radiação dipolo é um momento dipolar em mudança. (Pontualmente, você precisa de uma segunda derivada do momento dipolar .)

Para um par de cargas d = qr + q'r ' e não há nada de especial sobre as derivadas. Para um par de massas, o momento dipolar gravitacional é d = mr + m'r ' e sua derivada temporal é mv + m'v' = p + p '

Pela conservação do momento, a segunda derivada temporal da o momento dipolar gravitacional é zero, e você pode ir para um quadro do centro do momento e definir a primeira derivada para zero também. Não há radiação gravitacional de "dipolo elétrico". Considere o análogo da radiação "dipolo magnético".

O equivalente gravitacional do momento dipolar magnético para um par de cargas é M = mv xr + m'v 'x r' ("x" é o produto cruzado, "mv" é a "corrente de massa"). Mas M é a angular total momento, que também é conservado. Não há radiação gravitacional de "dipolo magnético".
O momento seguinte é quadrupolo, sem leis de conservação relevantes, portanto a radiação gravitacional quadripolar é permitida. - Tio Al


.
.
.

Não é exatamente sobre isso que Brush escreveu?

Uma pesquisa para ver quem cita o artigo de Brush pode ser reveladora. Talvez seja apenas a observação de que, além dos efeitos de pressão por gravidade bastante especulativos, não parecemos imersos em um banho de muitos e muitos raios ultra-gama?

Experimentos modernos sobre a queda de átomos frios isolados podem ser uma refutação conclusiva, uma vez que a pressão de radiação devido à radiação de frequência ultra alta tende a ocorrer em saltos discretos; E = hf e tudo isso. Isso não é observado.

Vejo você listando Majorana, embora talvez sua sugestão deva ser chamada de gravidade "anti-push" (certamente melhor do que "chupar"!).

Minha impressão é que, embora a gravidade do impulso, pelo menos em certos limites, dê resultados plausíveis, não oferece nenhuma melhoria em relação a outras teorias da gravitação, ao mesmo tempo em que introduz graves dificuldades relacionadas à troca de energia entre o fluxo de partículas gravitacionais e a matéria convencional. Um tratamento relativístico de partículas gravitacionais (relevante se fótons) não parece melhorar assuntos como curvas de rotação galáctica (obrigado Rob por isso). - Timo Nieminen

.
.
.

Existem algumas objeções genéricas, além de problemas específicos com modelos específicos.

As principais objeções genéricas que conheço são

1. Arrastar: Como Feynman apontou nas Palestras Feynman, qualquer coisa que seja capaz de "empurrar" também criará arrastar um objeto em movimento. Existem limites observacionais muito fortes sobre esse arrasto, no Sistema Solar e em sistemas pulsares binários.

2. Aberração: suponha que partículas "empurrando" se movam a uma velocidade v e observe o efeito no sistema solar.Para um planeta a distância d do Sol, o "empurrão" não será em direção à posição instantânea do Sol, mas em direção à sua posição em um momento d / v no passado. Esse é um efeito drástico - se v for a velocidade da luz, o Sistema Solar seria drasticamente instável em uma escala de mil anos . (O efeito da aberração é aumentar a velocidade de um planeta, e você pode esperar que o arrasto a cancele. Mas é fácil verificar se esse cancelamento pode ocorrer a, no máximo, uma distância radial do Sol.)

3. Princípio de equivalência: Observa-se que a gravidade atua não apenas na massa, mas em todas as formas de energia. Uma teoria da "força da gravidade" teria que vir com uma explicação de como as partículas que o empurrão consegue empurrar contra, por exemplo, a energia de ligação eletrostática e a energia cinética dos elétrons em um átomo, e por que esse "empurrão" corresponde exatamente ao "empurrão" contra a matéria comum. Em particular, observamos que a própria energia de ligação gravitacional gravita. Isso parece exigir auto-interação entre as partículas que empurram. Por outro lado, a precisão da lei do quadrado inverso em longas distâncias exige que a auto-interação seja muito pequena - você certamente precisa de um caminho livre médio maior que o tamanho do Sistema Solar, se não quiser atrapalhar Órbita de Plutão .

4. Triagem gravitacional: Existem limites muito fortes quanto ao tipo da "triagem gravitacional" seria de esperar de um modelo de "pressão gravitacional" - veja, por exemplo, Unnikrishnan et al., Phys. Rev. D 63 (2001) 062002.

Observe que NÃO estou perguntando sobre a teoria das partículas ultramundanas de Le Sage (que também se enquadra na categoria de gravidade por pressão), que eu posso > facilmente me desacreditar. Estou interessado principalmente no conceito de pressão de radiação eletromagnética, atuando como mecanismo gravitacional, e seu sombreamento, criando a lei do quadrado inverso , áreas de baixa pressão.

Você imediatamente enfrenta problemas com o princípio da equivalência, por um lado. As ondas eletromagnéticas não interagem com outras ondas eletromagnéticas (exceto por efeitos quânticos verdadeiramente minúsculos); mas a gravidade inclina a luz.

As ondas eletromagnéticas também não interagem com a energia interna, não com os neutrinos; mas estes * são * afetados pela gravidade.

Você também enfrenta graves problemas de aberração (veja acima) e muito provavelmente de arrasto.

Você * ainda * teria que explicar por que essa radiação de alta frequência não é absorvida pela Terra o suficiente para levar a uma triagem gravitacional do tipo descartado pelo experimento.

Observe que "radiação [eletromagnética] de alta frequência" é radiação gama. Existem medições experimentais de raios gama de energia muito alta, e uma quantidade razoável é conhecida sobre seu espectro. Eu suspeito que você teria É muito difícil conciliar seu modelo com essas observações.
- Steve Carlip

fonte original do texto (em inglês)

https://www.physicsforums.com/threads/why-is-push-gravity-concept-considered-not-viable-by-mainstream-science.141926/

_________________
Gráviton, onde tu estás que não te encontro Razz ?
Jonas Paulo Negreiros
Jonas Paulo Negreiros
Físico Profissional
Físico Profissional

Mensagens : 2292
Idade : 66
Localização : Jundiaí, São Paulo - Brasil

https://web.archive.org/web/20170721052353/sbtvd.anadigi.zip.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

A Verdadeira Natureza da Gravidade - Página 25 Empty Re: A Verdadeira Natureza da Gravidade

Mensagem por José Augusto em 29th Junho 2020, 15:25

Rsrs.. Quase lá. Gravitação é interação eletromagnética. Tenho fortes argumentos para acreditar que a,dita não existente, radiação EM de ondas longitudinais realmente existe e é responsável por induzir o processo atrativo que conhecemos como gravidade. Corpos materiais e também fótons perdem energia ou massa ao longo do tempo produzindo a gravidade. O deslocamento para vermelho interpretado como dilatação do universo, na verdade se encaixa com grande exatidão com energia perdida responsável pela gravidade.

José Augusto
Membro Regular
Membro Regular

Mensagens : 73
Idade : 67
Localização : Belo Horizonte - MG

Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 25 de 25 Anterior  1 ... 14 ... 23, 24, 25

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum