Física2100
Olá visitante!

Por favor, faça login ou crie uma conta se ainda não estiver registado.
Física2100
Gostaria de reagir a esta mensagem? Crie uma conta em poucos cliques ou inicie sessão para continuar.

O paradoxo dos foguetes

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

O paradoxo dos foguetes Empty O paradoxo dos foguetes

Mensagem por Jonas Paulo Negreiros em 19th Janeiro 2020, 18:47

O paradoxo dos foguetes

Estamos às voltas com um problema real: o entrelaçamento quântico desafia a relatividade geral einsteniana.

Vejo uma boa dose de razão na visão de Einstein sobre aquilo que conhecemos como velocidade limite.

Partindo-se do princípio de ação e reação de Newton e contando experiência observacional da maioria das pessoas, apresento um problema muito simples que faz referência a velocidade limite.

Imaginemos dois foguetes de combustível sólido, parelhados em algum lugar no espaço sideral, livre de ação gravitacional considerável.

O paradoxo dos foguetes 5602pf10

Para tornar o problema mais objetivo, desprezamos a massa da carenagem de cada foguete; somente a massa do combustível deve ser considerada nesse "experimento".

Sem lançar mão de cálculos de física de qualquer ordem, percebemos que o empuxo do foguete de cone vermelho tem mais empuxo que o foguete azul.

No entanto, o foguete de cone azul tem massa muito menor que o foguete vermelho.

É razoável admitir que o foguete azul "saia na frente", mas à maneira que o foguete vermelho perde massa em função da ejeção de combustível queimado, sua velocidade aumenta e a diferença de distância entre os foguetes se reduz.

Quando cessar a queima de combustível, podemos admitir que os dois foguetes estarão viajando à mesma distância do ponto de partida e na mesma velocidade final.

Sem lançar mão de cálculos avançados, percebemos que isso é possível ao  substituirmos o foguete vermelho por agrupamento de pequenos foguetes, cuja massa individual é idêntica a massa do foguete azul, mas cuja massa total é idêntica ao foguete vermelho que deu origem ao problema.

O paradoxo dos foguetes 75652p10


A questão principal que se apresenta nesse "experimento mental" pode ser reduzida a velocidade resultante reação de combustão de apenas uma porção única de substância propelente, usada nos foguetes apresentados anteriormente.

Quem determinará a separação e a velocidade máxima das partículas componentes dessa porção mínima de propelente será a cinética química e a energia liberada na reação de combustão. Isso não mudará em função do tamanho da naves, desde que a massa da carenagens seja desprezada.

Podemos admitir que ao fim das provas, cada foguete ou partícula terão a mesma velocidade relativa ao ponto de partida, pelos limites de energia liberada na reação química do propelente.

Notas

Esse assunto foi originariamente discutido nesta página:

https://fisica2100.forumeiros.com/t1263p40-acao-fantasmagorica-a-distancia-e-dez-mil-vezes-mais-rapida-que-a-luz#9416

Também foi discutido no fórum australiano de amadores de propulsão a jato:

https://forum.ausrocketry.com/viewtopic.php?f=8&t=5246

_________________
Gráviton, onde tu estás que não te encontro Razz ?
Jonas Paulo Negreiros
Jonas Paulo Negreiros
Físico Profissional
Físico Profissional

Mensagens : 2292
Idade : 66
Localização : Jundiaí, São Paulo - Brasil

https://web.archive.org/web/20170721052353/sbtvd.anadigi.zip.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum